domingo, 5 de dezembro de 2010

SOCORROS

NOÇÕES DE PRIMEIROS SOCORROS


O QUE É?
São os atendimentos temporários e imediatos aplicados a uma pessoa em perigo de morte, visando manter os sinais vitais, evitando o agravamento das lesões, até que receba assistência especializada.

O QUE FAZER?
.  Observar o local do acidente;
.  Cuide de sua segurança e das outras pessoas, inclusive da vítima;
.  A verificação do número total de vítimas;
.  Sempre dê prioridade de atendimento às vítimas mais graves;
.  Acione o socorro especializado.

INFORMAÇÕES AO SOCORRO MÉDICO:
.  Localização exata da vítima – como endereço completo, ponto de referencia;
.  Número do telefone em que você pode ser encontrado;
.  Qualquer informação sobre a vítima que possa ajudar o atendente a enviar pessoal e equipamentos adequados.

AVALIAÇÃO DA VÍTIMA:
.  Investigação primária:
-          Nível de Consciência
-          Verificar vias aéreas / Proteção da Coluna Cervical;
-          Respiração;
-          Circulação.

.  Investigação Secundária:
-          Entrevista;
-          Exame Físico.

PARADA CARDIO RESPIRATÓRIA:
.  É A AUSÊNCIA DE BATIMENTOS CARDÍACOS E AUSÊNCIA DOS MOVIMENTOS RESPIRATÓRIOS.

.  CAUSAS:
            Choque Elétrico;
            Afogamento;                                             
            Envenenamento;
            Engasgo;
            Traumas.

.  SINAIS:
            Ausência de Pulso;
            Ausência de Movimentos Respiratórios;
            Perda de consciência, palidez, cianose;
            Tontura, formigamentos nas mãos e nos pés.

REANIMAÇÃO CARDIO PULMANAR:
            OBJETIVO: Restabelecer o funcionamento do coração e do pulmão,       para que o cérebro possa receber sangue oxigenado a fim de não entrar em prejuízo.

RCP:
Respiração Artificial
(Boca-Boca)
                             +
Compressão no Peito
(Massagem Cardíaca)

QUANDO INICIAR A RCP:
Ausência de respiração;
Ausência de batimento cardíaco.

COMO FAZER?
30 compressões X 2 ventilações

QUANDO PARAR A RCP?
.  Quando uma equipe de socorro
            chegar ao local e assumir a situação;
.  Quando a vítima apresentar sinais de
            vida;
.  Quando o socorrista estiver exausto;
.  Quando o médico atestar a morte da
             vítima.

Manobra de Heimlich:
Vamos conhecer um pouco mais sobre esta manobra que salva vidas.
Você já deve ter ouvido falar de algum caso como este.
Recapitulando a situação:
Você está almoçando com um grupo de amigos, Subitamente, alguém se engasga. Tenta tossir, mas parece estar seriamente em apuros, Levanta-se e fica muito agitado levando as mãos à garganta. Não consegue mais falar, parecendo ter alguma dificuldade para respirar.
Seu amigo (a) pode estar com a passagem de ar bloqueada e isto pode levar à asfixia em questão de minutos!
Você sabe como poderia ajudar?
A asfixia é uma causa comum de morte após engasgo com alimentos. É comum em crianças, ocorrendo também com os adultos, Provocada por uma súbita queda de oxigenação, pode levar à morte em poucos minutos, se não solucionada rapidamente.
Balas, doces, bombons e alimentos diversos podem ser responsáveis por este evento. 
Ao ser deglutido de forma inadequada, o alimento pode bloquear as vias respiratórias e a passagem de ar para os pulmões, ao impactar na garganta.
Uma manobra pode ser salvadora neste momento. Conhecida como Manobra de Heimlich, foi descrita em 1974 por Henry Heimlich.
Inicialmente reconhecida pela Cruz Vermelha, foi adotada e difundida mundialmente como uma manobra salvadora de vidas. É uma tosse “artificial” ou “auxiliada”, com o intuito de expelir o objeto ou alimento da traquéia da pessoa
Vamos conhecê-la?

Esta manobra já é de domínio público em vários países onde é comum encontrarmos cartazes com estas instruções, especialmente em restaurantes. Em primeiro lugar, mande alguém ligar para um serviço móvel de socorro (por exemplo, o SALVAR “193” OU SAMU 192) enquanto você começa a prestar o socorro mais imediato.
Certifique-se que a pessoa esteja realmente com dificuldades para respirar. Alguns sinais são característicos: ela tenta falar e a voz não sai. Começa a ficar agitada e confusa, levando as mãos para a garganta. A pele pode mudar de cor, passando a ficar azulada a que indica baixa oxigenação do sangue. Inicie abraçando a pessoa pela cintura firmando os punhos entre as costelas e o abdome. Puxe a pessoa para cima e em sua direção, rápida e vigorosamente, quantas vezes forem necessárias.
Se a pessoa não consegue mais ficar de pé (está inconsciente ou esgotada) ou se você não tem força suficiente, a manobra pode ser aplicada com ela sentada ou deitada. Não importa se a pessoa está ficando sem reação, parecendo já estar desfalecida.  Inicie a manobra o quanto antes!
Crianças também podem ser socorridas através desta manobra.
E, inclusive, você mesmo (a) pode auto-aplicar a manobra se estiver sozinho (a).
Concluindo, a asfixia pode levar a vida de uma pessoa em apenas 4 (quatro) minutos. A manobra de Heimlich pode ser útil e salvar uma vida quando um corpo estranho bloqueia a passagem de ar para os pulmões.
Vale lembrar que: Quando algo bloqueia a passagem de ar, não há tempo suficiente para esperar pela chegada de um socorro médico. A pessoa mais próxima precisa agir rapidamente!

CONVULSÃO:
.  Crise convulsiva é uma alteração involuntária e repentina nos sentidos, nos comportamento, na atividade muscular ou no nível de consciência que resulta da superatividade das células cerebrais.
.  CAUSAS:
            Anoxia, Hipoglicemia, Febre Alta, Tumores Cerebrais, TCE, Epilepsia.
.  OBS:
           NÃO FORCE ABERTURA DA BOCA,
           NÃO TENTE IMPEDIR AS CONTRAÇÕES
   NÃO TENTE COLOCAR OBJETOS NA BOCA DA VITIMA BEM COMO O DEDO.
 ATENDIMENTO:

.  Segurança do local;
.  Segurança pessoal;
.  Colete informações que justifique a crise;
.  Proteja cabeça da vitima;
.  Folgue as roupas da vitima;
.  Mantenha-se calmo, se a vitima estiver consciente, tranqüilize-a, acalme também as outras pessoas;
.  Lateralize a vítima;
.  Cubra a vítima com um cobertor para aquecê-la;
.  Mantenha a integridade da vítima;
.  Permaneça com ela até a crise terminar.

DESMAIO:
É a perda repentina e breve da consciência.
Sinais e Sintomas:
Náuseas, Tontura, Fraqueza, Tremores, Dor de cabeça latejante.
Causas:
Fome, Sede, Stress, Excesso de sol, Emoções Fortes.
Atendimento:
Se a vitima não tiver ainda desmaiada evitar que ela caia;
Se já tiver desmaiada, mantenha-a deitada em decúbito dorsal.
Eleve as pernas entre 20 ou 30cm,
Verifique se ocorreu lesões na queda.

VERTIGEM:
Consiste nos sinais e sintomas que antecedem o desmaio.
Sinais e Sintomas:
Tontura; sensação de mal estar; suor frio; zumbido no ouvido; escurecimento da visão; perda de consciência.
Tratamento:
Arejar o ambiente; Afrouxar as roupas da vítima; Deixar a vítima deitada; elevar as pernas, quando possível.


HEMORRAGIA:
.  Conceito:  Hemorragia é a perda de sangue devido ao rompimento de um vaso sangüíneo, veia ou artéria, alterando o fluxo normal da circulação.
A Hemorragia abundante e não controlada pode causar  morte de 3 a 5     minutos.
.  A gravidade depende da quantidade e rapidez de sangue perdido.
      .  Como reconhecer quando há rompimento da artéria?

O sangue é vermelho vivo, claro (com bastante oxigênio) e flui em jatos rápidos e fortes, de acordo com o batimento cardíaco, portanto perde-se maior quantidade de sangue, sendo mais grave e exigindo procedimentos para estancamentos urgentes.

       .  E o rompimento de uma veia?

O sangue é vermelho escuro, quase roxo (com pouco oxigênio), fluindo de forma lenta e contínua com uma intensidade geralmente menor (dependendo do tamanho do ferimento), geralmente é menos grave e uma simples compressão resolve.

.  Como proceder?
      Deite imediatamente a vítima;
Se possível, mantenha o local do ferimento em posição mais elevada;
Se o ferimento for pequeno, pressione com o dedo até o sangue parar;
      Aplique um curativo de gaze ou pano limpe e pressione;
Se o curativo molhar rapidamente, coloque outro por cima, o aproveitamento será   melhor para a coagulação do sangue, sem trocar o curativo e também evita infecção;
Amarre um pano, atadura, gravata, cinto ou lenço por cima do curativo (para firmar), sem apertar muito, para não prejudicar a circulação;
      Evite movimentos da parte afetada;
Se continuar o sangramento, comprima a artéria mais próxima;
Corpos estranhos não devem ser retirados dos ferimentos, proteja somente em volta;
Nunca aplique substâncias da medicina caseira, pois irá prejudicar o trabalho dos médicos na limpeza e no procedimento final.

 HEMORRAGIA INTERNA:
.  Tornando-se mais grave, pois demora mais para aparecer os sintomas, acompanhe atentamente até a chegada de uma equipe especializada, pois não podemos ajudar muito e ela pode levar o acidentado rapidamente ao estado de choque. Os principais sinais são:
.  Pulsação acelerada ou fraca;
.  Pele fria e pálida;
.  Mucosas na boca e dos olhos esbranquiçadas;
.  Extremidades arroxeadas pela pouca irrigação sangüínea;
.  Sede;
.  Tontura;
.  Inconsciência.

Como proceder?
.  Deite a vítima de maneira que a cabeça fique mais baixa que o corpo;
.  Coloque compressas frias ou bolsa de gelo no local da hemorragia;
.  Não permita que a vítima tome líquidos;
.  Observe atentamente, pois os riscos de parada cardíaca ou respiratória aumentam;
.  A vítima precisa de atendimento médico com a maior urgência.

SANGRAMENTO NASAL
.  CAUSAS:
             TRAUMATISMO;
             TEMPERATURA.
.  MANOBRA DE HEMOSTASIA:
Faça a vítima ficar sentada em local fresco,  imóvel e  inclinada para frente
           Roupa afrouxada;
           A vítima deve respirar pela boca, não assoar o nariz;
           A narina deve ser comprimida de 5 a 10 minutos;
           Uma compressa fria deve ser colocada no nariz;
Não parando a hemorragia, ou em caso de inconsciência, a vítima deve ser encaminhada a uma equipe ESpecializada.

QUEIMADURAS:
.  CONCEITO – É A LESÃO CAUSADA PELA AÇÃO DIRETA OU INDIRETA PRODUZIDA PELO CALOR OU FRIO.
.  CLASSIFICAÇÃO:
      O AGENTE CAUSADOR
      A PROFUNDIDADE
      A EXTENSÃO (ÁREA DO CORPO ATINGIDA)
.  QUANTO AO AGENTE CAUSADOR PODE SER:
1 – TÉRMICAS = PROVOCADA POR CALOR, LIQUIDOS QUENTES,     OBJETOS AQUECIDOS, VAPOR.
            2 – QUIMICAS = PROVOCADA POR ACIDOS E BASES.
            3 – ELETRICAS = PROVOCADA POR RAIOS E CORRENTES ELETRICAS
            4 – RADIOATIVAS = PROVOCADA POR RADIAÇÃO NUCLEAR
.  QUANTO A PROFUNDIDADE:
.  PRIMEIRO GRAU – A PELE APRESENTA-SE EM HIPEREMIA (AVERMELHADA), EDEMACIADA (INCHADA) E ARDOR NO LOCAL.
.  SEGUNDO GRAU – ATINGE A EPIDERME ESTENDENDO ATÉ A DERME. CARACTERIZA-SE PELA FORMAÇÃO DE FLICTENAS ( BOLHAS), DOR LOCAL, HIPEREMIA, EDEMA.
.  TERCEIRO GRAU – ATINGE AS CAMADAS DA PELE E HIPODERME. CARACTERIZA-SE POR APRESENTAR COLORAÇÃO ESCURA OU ESBRANQUIÇADA, UMA LESÃO SECA, DURA E INDOLOR.
QUEIMADURAS COMO ATENDER?
à  INTERROMPA IMEDIATAMENTE O EFEITO DO CALOR UTILIZE AGUA FRIA;
à  CHAME O SOCORRO MÉDICO ESPECIALIZADO;
à  A QUEIMADURA É UMA LESÃO ESTÉRIL CUIDADO PARA NÃO CONTAMINA-LA;
à   RETIRE PULSEIRAS, JÓIAS, RELÓGIOS, ROUPAS QUE NÃO ESTEJAM GRUDADAS NA PELE DA VITIMA;
à   NÃO FURE AS FLICTENAS ( BOLHAS) !
à  NÃO UTILIZE MANTEIGA, CREME DENTAL, GELO, ÓLEO, BANHA OU QUALQUER SUBSTÂNCIA SOBRE AS QUEIMADURAS.

ANIMAIS PEÇONHENTOS:
São aqueles que produzem venenos e possuem estruturas ou órgãos especializados para injetar esse veneno em suas vítimas. Habitam geralmente em Zona Rural, porém alguns, como os escorpiões podem ser facilmente encontrados nas cidades, restos de materiais de construção, etc. Os acidentes mais graves são causados por: serpentes, escopiões, algumas aranhas e abelhas.
COMO PREVENIR ACIDENTES:
Observe com atenção ao andar no mato, plantações, baixadas, usar luvas e botas para o trabalho rural, acampamentos rústicos, sacudir roupas e calçados antes de usá-los, não mexer em buracos, tocas, troncos, colméias, manter as casas e áreas próximas sempre limpas.
CASO OCORRA ACIDENTE, O QUE FAZER?
Lave bem o local da picada com bastante água e sabão, coloque a pessoa em repouso, Não deixe movimentar-se, leve imediatamente para uma Unidade de Saúde mais próxima, se capturar o animal, leve-o junto para ser identificado.
O QUE NÃO FAZER:
Não amarre, não fure, não corte e não sugue o local da picada, não coloque alho, café, fumo, castanha, esterco, pimenta ou qualquer outro produto sobre o local da picada, não tome bebida alcoólica, querosene, óleo diesel, chás e remédios milagrosos.
OBS: O paciente pode nesse caso beber água à vontade!
CLAVE (Centro de Informação Antiveneno): 0800 284 4343

ENVENENAMENTO OU INTIXICAÇÃO
ž  O ENVENENAMENTO OCORRE QUANDO O INDIVÍDUO ENTRA EM CONTATO, INGERE OU INALA SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS BIOLOGICAS OU 

NATURAIS QUE POSSAM CAUSAR DISTÚRBIOS FUNCIONAIS OU SINTOMÁTICOS, CONFIGURANDO UM QUADRO CLÍNICO SÉRIO

A GRAVIDADE DO ENVENENAMENTO DEPENDE:

            IDADE 

            SUSCETIBILIDADE DA VÍTIMA 

            QUANTIDADE DO VENENO 
            TIPO DE TOXICIDADE DA SUBSTÂNCIA INGERIDA OU ASPIRAL 
             TEMPO DE EXPOSIÇÃO.


. VIA DE PENETRAÇÃO:
.  BOCA: INGESTÃO DE QUALQUER TIPO DE SUBSTÂNCIA, TÓXICA, QUÍMICA               OU NATURAL. 

PELE : CONTATO DIRETO COM PLANTAS OU SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS TÓXICAS.

VIAS RESPIRATÓRIAS: ASPIRAÇÃO DE VAPORES OU GASES.

.  SINAIS:
MAL SÚBITO
DESMAIO
VÔMITO
RESPIRAÇÃO DIFIÇIL
CONVULSÃO     
.  tIPOS:
      INGESTÃO DE SUBSTÂNCIA TÓXICA;
      Intoxicação Alimentar;
      Chumbinho;
      Medicamentos;
      Agrotóxicos.
.  ATENDIMENTO:
      Monitore as vias aéreas e sinais vitais;
      Não induza o vômito;
      Leve-a imediatamente ao Pronto Socorro;
      Dê informações a cerca do que foi ingerido ou inalado.

TRAUMAS:
CONCEITOS:
- Fratura;
- Entorse;
- Deslocamento;
- Distensões.
 CAUSAS:
 -Acidentes automobilísticos;
- Quedas;
- Agressões interpessoais;
- Patologias (osteoporose);
- Práticas de esportes.

FRATURA:
É uma ruptura na continuidade de um osso.
.  Pode ser:
Fechada ou Coberta: Na qual a pele sobrejacente permanece INTACTA (sem rompimento), e não há ferimentos em volta.
      Aberta ou Expostas: Na qual a pele sobre o local da     fratura é danificada ou rompida. O osso pode ficar ou não exposto através do ferimento.

MECANISMO DE LESÃO:
.  Força Direta: fratura decorrente de força direta, ou de um golpe direto, ocorre no ponto de impacto.
.  Força Indireta: a força indireta afeta a extremidade de um membro lesionando-o em um ponto distante do local do impacto.
.  Força de Entorse: quando um osso é fraturado por força de entorse, uma parte fica imóvel, enquanto a outra é torcida.

SINAIS E SINTOMAS:
.  Deformidade;
.  Dor e Sensibilidade;
.  Crepitação Óssea;
.  Inchaço Rápido;
.  Possível Perda da Função.

ATENDIMENTO:

FRATURAS FECHADAS:

<         Imobilizar a região fraturada em posição normal, inclinando as articulações que ficam acima e abaixo da fratura;
<         Manter a vítima em posição confortável;
<         Tranqüilizar  à vítima
<         Transportar para um Pronto-Socorro.

FRATURAS EXPOSTAS:

<         Estancar a hemorragia;
<         Cobrir a região para evitar infecção;
<         Não tentar introduzir as extremidades dos ossos que estão expostas;
<         Imobilizar a fratura;
<         Tranqüilizar a vítima
<         Procurar assistência médica.

ENTORSE:
Lesão no qual os ligamentos, sofrem ruptura total ou parcial.

Sinais e sintomas:
Dor, Inchaço, deformidade, descoloração da pele, incapacidade de usar a parte lesionada.

Atendimento:
Repouso, Gelo, Compressão, Elevação.

DESLOCAMENTO
É um desvio ou separação de um osso de sua posição normal na articulação, geralmente causada por força intensa.
.  Atendimento:
Imobilizar o membro deslocado da mesma maneira que  encontrou;
           Compressa de água fria ou gelo

DISTENSÃO:
Lesão muscular.
.  Sinais e Sintomas:
            Local sensível ao toque;
            Edema rápido.
.  Atendimento:
            Colocar a vítima numa posição confortável;
           Aplicar gelo;
           Direcioná-la ao Pronto Socorro.

IMOBILIZAÇÃO:
Qualquer dispositivo usado para imobilizar uma fratura ou deslocamento.

.  REGRAS PARA IMOBILIZAÇÃO:
           Avalie o pulso da vitima antes e depois da imobilização;
           Imobilize as articulações acima e abaixo.

Caixa de Primeiros Socorros:
.  Gaze Esterilizada
.  Termômetro
.  Tesoura
.  Algodão
.  Atadura
.  Esparadrapo
.  Degermante
.  SF 0,9%
.  Luvas de Procedimento.

Art. 135
- Deixar de prestar assistência, quando possível fazê-lo sem risco pessoal, à criança abandonada ou extraviada, ou à pessoa inválida ou ferida, ao desamparo ou em grave e
iminente perigo; ou não pedir, nesses casos, o socorro da autoridade pública:
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
Parágrafo único - A pena é aumentada de metade, se da omissão resulta lesão corporal de natureza grave, e triplicada, se resulta a morte.